sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Perdão

Postado por Celeste Maria Cesar Galvão às 04:00


Blogagem Coletiva
proposta pela amiga Glorinha do Blog Café com Bolo 
sobre o Perdão

O perdão é um processo mental ou espiritual de cessar o sentimento de ressentimento ou raiva contra outra pessoa, decorrente de uma ofensa percebida, diferença ou erro, ou cessar a exigência de castigo ou restituição.

O perdão é o esquecimento completo e absoluto das ofensas, vem do coração, é sincero, generoso e não fere o amor próprio do ofensor. Não impõe condições humilhantes tampouco é motivado por orgulho ou ostentação. O verdadeiro perdão se reconhece pelos atos e não pelas palavras.

Estudos científicos revelam que perdoar é um ato que resolve vários problemas.

Quando na vida, ocupamos um espaço muito grande para algum ressentimento, possuímos uma mágoa, é o que argumenta Fred Luskin em seu livro O poder do perdão da Editora Novo Paradigma (2002) - Para ele, perdoar é diminuir esse espaço, é viver a vida com outra intensidade, é estar menos mobilizado por uma história sobre a mágoa.

“O perdão é a sensação de paz que emerge quando o sujeito assume seu sofrimento em termos menos pessoais, assume a responsabilidade de como se sente e torna-se herói e não uma vítima na história que relata”, afirma Fred Luskin.

Perdão é a compreensão de que o sofrimento faz parte da vida, e que raiva e ressentimento são reações pertinentes aos acontecimentos dolorosos. É uma habilidade que se pode aprender, assumindo a responsabilidade por como nos sentimos quando alguém nos faz sofrer. Não podemos mudar o passado, mas aprendemos a lidar com essas lembranças e não a esquecê-las.

Quando culpamos outra pessoa pela maneira como nos sentimos, damos a essa pessoa o poder sobre nossas emoções, levando a nos sentir vítimas de alguém, por isso, o autor refere-se que “conservar pessoas responsáveis por suas ações não é o mesmo que culpá-las pelo jeito que você se sente. É difícil se livrar do sofrimento diante da crueldade das pessoas”. Embora ferido, o perdão significa que o sujeito opte por se magoar e sofrer menos e por fazer parte da solução do problema.

A raiva é uma emoção que resulta estresse, proporciona uma revolução orgânica que pode causar transtorno físico agudo, do tipo infarte ou derrame.

“Alguns estudos médicos e psicológicos revelaram que raiva e hostilidade duradouras são prejudiciais à saúde cardiovascular” afirma Fred Luskin, tais como nos motivos apresentados nos exemplos abaixo:

Hipertensão arterial: por causa da contração dos vasos sanguíneos.

Arritmias cardíacas : por causa da estimulação simpática ou parassimpática.

Trombose e oclusão das coronárias: devido ao aumento da agregação das plaquetas e mobilização das placas de gordura.

Infarto do miocárdio: devido à oclusão das coronárias ou aumento do consumo de oxigênio pelo miocárdio.

Outras enfermidades também podem ser acentuadas ou causadas pela mágoa e pelo rancor, dentre elas estão: dor de cabeça, dores musculares, fibromialgia, gastrites e úlceras, problemas intestinais, problemas de memória, problemas de pele, queda na imunidade, vertigem, doenças alérgicas, como a asma, por exemplo e a depressão. A depressão é fator de risco tanto para as doenças cardíacas como para o derrame cerebral.

Portanto, reflita sobre suas histórias de mágoas, propicie que elas se transformem em histórias de perdão. Perdoar faz bem em todos os sentidos, faz bem ao corpo, à alma e principalmente enriquece nossos relacionamentos.




Com carinho,

Celeste Galvão

 

21 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS on 17 de setembro de 2010 05:56:00 BRT disse...

Perdoar é uma atitude muito nobre. Mas nem todos o conseguem fazer... infelizmente!

Chica on 17 de setembro de 2010 06:54:00 BRT disse...

Linda participação!O perdão faz bema todos!beijos,chica

Ives on 17 de setembro de 2010 07:40:00 BRT disse...

Olá! muito interessante hein! perdoar é algo que vem da alma né, e quando a alma é iluminada podemos perdoar facilmente rss abraços

Dama de Cinzas on 17 de setembro de 2010 07:45:00 BRT disse...

Eu posso dizer que perdoo ao ponto de não sentir mais raiva da pessoa, mas a mágoa fica, infelizmente e quando ela é grande, não dá pra voltar a ser a mesma com a pessoa!

Beijocas

António Rosa on 17 de setembro de 2010 07:53:00 BRT disse...

Venho despedir-me desta blogagem colectiva e só não participo

porque recentemente (1 Setembro) fiz um post no 'Cova do Urso' sobre o tema

'perdão'.

Adorei a sua mensagem.

Vou sentir saudades destas blogagens coletivas da Glorinha, em

que todos nos juntámos.

Abreijos (abraços + beijos)

António

Paula Marina on 17 de setembro de 2010 08:30:00 BRT disse...

CÊ, passei pra te desejar um bom dia.

e por falar em perdão, acho que ele nos libera, nos livra da angustia e nos ensina que nós também precisamos de perdão, talvez não da pessoa que estamos perdoando, mas com certeza também já fomos alvo ou seremos alvo do perdão de alguém.

bjus

Sil.. on 17 de setembro de 2010 08:32:00 BRT disse...

Cê,

O perdão é nobre.
Mas a gente não tem como perdoar em todos os casos.
Eu penso que seria humanamente impossivel.
Tipo: Perdoar um bandido que matou um ente querido seu, e por ai vai.
Mas em outros casos, a gente perdoa sim, de coração. E se perdoa junto,pois não somos perfeitos.

Um abraço meu!

Tati Pastorello on 17 de setembro de 2010 09:23:00 BRT disse...

Oi Cê, adorei seu texto, um verdadeiro tratado sobre o perdão. Esta parte médica é muito interessante. Estresse e todo tipo de desarmonia menifestam-se, realmente, em nosso corpo, na forma de doenças. Que estejamos sempre alertas!
Beijos.

Misturação - Ana Karla on 17 de setembro de 2010 10:20:00 BRT disse...

Que todos consigam perdoar verdadeiramente.

Cê, bom final de semana.

Xeros

Isadora on 17 de setembro de 2010 10:41:00 BRT disse...

Cê, é verdade mesmo, quando colocamos toda a culpa ou responsabilidade por nossas mágoas, ou ressentimentos damos a este um "poder", que na verdade nem existe. Nós é que o conferimos.
Tenho certeza de que o acúmulo de não bons sentimentos só tendem a prejudicar aqueles que o sentem, por isso devemos sempre nos preocuparmos com nossa saúde emocional e nos libertamos do que carrega a alma.
Um beijo

Liza Souza on 17 de setembro de 2010 10:46:00 BRT disse...

Ei Cê! Cheguei aqui através da blogagem coletiva. Lindo texto! O perdao realmente causa um estrago enorme no corpo e na alma e na minha opiniao só alcancamos a felicidade real quando estamos dispostos a nos liberar das mágoas e rancores que temos dentro de nós.
Beijos

Glorinha L de Lion on 17 de setembro de 2010 11:20:00 BRT disse...

Muito bom seu texto, Cê! Realmente, às vezes perdoar é difícil, mas faz mais bem a quem perdoa, pois tira o peso do ressentimento de cima da gente. Beijos.

Astrid Annabelle on 17 de setembro de 2010 12:11:00 BRT disse...

Precisamos mesmo transformar nossas histórias em histórias de perdão.
Eu adorei seu texto.
Um enfoque que ninguém mais deu...como o não perdoar se manifesta no corpo humano!
Muito bom mesmo.
Parabéns Cê!
Beijo gostoso.
Astrid Annabelle

Lúcia Soares on 17 de setembro de 2010 15:50:00 BRT disse...

Cê, qualquer sentimento negativo que se tem acaba em doenças. Perdoar é um ato de inteligência, até. Com o perdão alcançamos a serenidade.
Não fui magoada com grande males, pra ter que perdoar. Mas me desculpo e desculpo a muita gente que comete comigo (ou eu com elas) pequenos deslizes.
Se precisar, prefiro pedir perdão a perdoar.
Faço de tudo pra não ferir as pessoas, justamente pra não precisar pedir perdão.
Beijo!

Nilce on 17 de setembro de 2010 16:30:00 BRT disse...

Oi, Cê

Gostei muito do seu texto.
Levei um susto com relação às doenças. Sabe que tenho asma desde que nasci e não tinha nenhuma dessas outras enquando era possuída pela raiva.
Depois de passados tantos anos, tenho pelo menos a metade delas.rsrsrs
Ah, mas é coisa da idade mesmo, devo reconhecer.kkkkk
Obrigada pelo carinho.

Bjs no coração!

Nilce

on 17 de setembro de 2010 16:46:00 BRT disse...

Olá Cê, vejam só como sentimentos errados podem nos detruir. Perdoar, se de forma verdadeira pode ser um alívio e retirar uma carga muito pesada. Muito bom seu texto. Levantou pontos muito importantes. Bjooos

Macá on 17 de setembro de 2010 17:32:00 BRT disse...

Celeste
Muito bom o enfoque do seu texto.
O quanto um sentimento ruim pode prejudicar o nosso corpo. É igual a engolir sapos, já ouviu falar?
Então o melhor e não fazermos coisas que sejam necessárias pedir perdão depois, e também perdoar (mesmo que eu ache que perdoamos, mas não esquecemos totalmente) para tirarmos o peso das nossas vidas.
Um beijo

orvalho do ceu on 17 de setembro de 2010 18:59:00 BRT disse...

Oá, querida CÊ
Cada vez mais me convenço de que a falta do perdão está ligada diretamente à nossa saúde nos diversos níveis do nosso ser.
Ótimo post!
Um bj em seu coração.

Beth/Lilás on 17 de setembro de 2010 19:10:00 BRT disse...

Oi, Cê!
Também acho que as pessoas que acumulam mágoas, ressentimentos, dores, estão mais sujeitas a adoecer e enveredar pela depressão.
Esse negócio de perdão é mesmo difícil para nós humanos, porque às vezes dizemos que perdoamos, mas fica lá aquele ranço, as lembranças.
O bom mesmo é viver a vida com cuidado para nunca ter que pedir perdão. Mas se tiver, que seja de coração.
bjs cariocas

Cadinho RoCo on 17 de setembro de 2010 19:52:00 BRT disse...

Se bem soubermos estar na sintonia do amor o perdão surgirá como mera consequência.
Cadinho RoCo

Nika on 18 de setembro de 2010 00:04:00 BRT disse...

Ótimo post Ce.. nosso corpo responde as energias negativas que absorvemos.
Perdoar é ótimo, mas é difícil, deve ser um exercicio feito todo o dia e deve ser feito verdadeiramente e de coração.
bjs

 

Cantinho da Cê Copyright © 2010 Template adaptado por Elis (Coisas de Lily)