terça-feira, 7 de setembro de 2010

Escravas da Moda

Postado por Celeste Maria Cesar Galvão às 21:11


Hoje vou falar de um assunto triste e constrangedor, mas necessário. 


Domingo recebi um vídeo, vou postar abaixo, falando sobre a escravidão a que nós mulheres estamos sujeitas ao padrão de beleza atual.


Tenho uma filha de 15 anos que graças a Deus sempre foi magrinha, come de tudo e nunca se preocupou  com regime. Entretanto, há casos de meninas com bem menos idade fazendo dietas malucas e ajudadas por suas mães , o que é pior. 


Até que ponto ser magérrima e seguir a moda é saudável? 


Bem, o vídeo fala por mim:





Triste não é? Alguma coisa deve ser feita urgentemente ou nossas meninas, escravas da moda, serão os futuros cadáveres deste mundo louco...








Boa semana,
 beijos,
 Celeste Galvão




10 comentários:

Sil.. on 7 de setembro de 2010 21:32:00 BRT disse...

Cê, uma vez estava no shoping com minha filha de 16 anos, quando ela foi parada por um "Olheiro". Ela ficou empolgada, me informei sobre a agência, a levei para fazer um book, etc.
Mas depois, ela viu que não era aquilo que ela queria, e eu dei a maior força, como em tudo na vida dela. Ela é minha única filha, e eu sou aquela mãe que fica 24 horas do lado mesmooo.
E mostrei a ela como as meninas dessa idade morrem cedo por falta de diálogo com os pais, e excesso de culto ao corpo.
Tbm acho uma pena, uma besteira essa coisa de se cuidar tanto do corpo, pelos padrões idiotas impostos pela sociedade, e não cuidar da saúde, da vida, da alma.
Triste mesmo esse video, e infelizmente uma grande verdade. E o pior, com o apoio das próprias mães.
Que pena meu Deus, que pena.

Um abraço grande!

Andre Martin on 7 de setembro de 2010 23:39:00 BRT disse...

O outro extremo também é muito triste: a obesidade!

Confúcio (ou Buda? fique confusio) fizia que devemos seguir o caminho do meio, do equilíbrio.

Uma coisa é quando fazemos isto por opção. complicado é quando trata-se de uma doença, e deve ser tratada como tal.

O alerta é importante.

Paula Marina on 8 de setembro de 2010 00:16:00 BRT disse...

eu acredito que isso deve começar de nós mulheres, nao devemos aceitar os padrões q nos impõem.
adorei esse post
bjus

Denise Lopes on 8 de setembro de 2010 07:19:00 BRT disse...

Oi Cê que bom que tem mais dia de folga....aproveite. Interessante seu post, isso é uma realidade, e o mundo da moda nos trouxe isso, desta forma foi associada essa busca em nome da beleza que era vista nas revistas e Tv, porém esqueceram de mostrar os "recursos" que ajudavam a tornar perfeita aquela que saia na revista ou no comercial. Aqui já existe um avanço em relação amostragem na mídia em relação ao físico perfeito. É normal vermos mulheres de padrão comum ou cheinhas em comerciais, inclusive de peças íntimas. Houve uma batalha em relação a isso há anos atras. No Brasil ainda não existe este formato, que me lembre apenas nos comerciais da Dove podíamos ver isso. Cabe a nós, mães, orientarmos nossas filhas...é o melhor caminho...Beijos

GIL on 8 de setembro de 2010 13:10:00 BRT disse...

É tão interessante Cê como tudo começou, pós guerra, todo mundo muito magro as modelos não poderiam desfilar mas como protesto a colocaram para desfilar magérrimas e o mundo vendo aquela imagem a adotaram........não raciocinando que era um protesto pós guerra e a guerra é nossa hoje contra isso.........bjks.....mas já ganhamos pontos de não aceitarem modelos com pesos menores nos desfiles.....desde que morreu aquela modelo que esquecí o nome.......Gil

Nilce on 8 de setembro de 2010 13:59:00 BRT disse...

Oi, Cê

Esses padrões impostos pela sociedade não têm mesmo, nada a ver com beleza, muito menos saúde. É na verdade uma doença, assim como a alimentação exagerada e falta de exercícios normais, têm transformado nossos adolescentes em obesos e doentios.
Há que se mediar as coisas, que se buscar saúde.
Muito bom seu post. Muito triste o video.

Bjs no coração!

Nilce

Lúcia Soares on 8 de setembro de 2010 14:24:00 BRT disse...

Cê, esta é uma triste realidade do mundo da moda.
Mas também acho que os maiores culpados são os pais.
Eles têm mais desejo que as filhas sejam famosas do que, muitas vezes, as próprias moças o querem.
Todas acham que podem ser uma Giselle B. Mas não é fácil. Ela mesma nunca se deixou levar e estava sempre acompanhada - verdadeiramente - dos pais.
Então você tem uma filha de 15 anos?
Parece que você tem quase isso, pela foto!
Parabéns!
beijos!

Gisley Scott on 12 de setembro de 2010 16:39:00 BRT disse...

É horrível mesmo, e o que tem de gente gastando os tubos de dinheiro pra puxar, tirar, repuxar, é uma coisa louca,mas como é que vc conserta problema emocional com cirurgia? Eu acredito que não, mas foi isso que Heidi Montag tentou fazer. O que começou com 1 cirurgia, terminou em 10 ( fonte : http://www.pop.com.br/mundopop/noticias/celebridades/384771-Depois_de_dez_plasticas__Heidi_Montag_se_arrepende_e_diz_ter_medo_que_nariz_caia.html) , daí ela diz que agora se arrepende.

Não muito tempo atrás eu escrevi sobre algo assim no blog tb, o nome do post é A BELEZA FABRICADA E A MENTIRA QUE ACREDITAMOS, se vc quiser dar uma olha está aqui:


http://vivendolaforanoseua.blogspot.com/2009/10/beleza-fabricada-e-mentira-que.html


Bjos!

Tenha uma ótima semana!

BATE POEIRA on 30 de setembro de 2010 22:53:00 BRT disse...

Somos todos induzidos pela propaganda na televisão e internet. Xuxa, Angélica, Eliana Gisele e Sheilas da vida.
As moças se iludem e carregam consigo o peso da moda imposta por padrões duvidosos de beleza. O corpo da mulher brasileira, grande parte de etnia africana, sempre foi robusto. Não tem porque uma moça que poderia ser bonita com todas suas proporções no lugar, virar um saco de osso ambulante, cheia de anemia e fraquezas. A maioria dos homens observam volumes na estética feminina. O padrão de mulher cabide só é admirado nos desfiles.
Na vida fora dos holofotes é motivo de chacota.

É isso.

BATE POEIRA on 30 de setembro de 2010 23:08:00 BRT disse...

Somos impulsionados pela mídia. A maior influência vem da tv da internet. A juventude segue o exemplo das famosas, Xuxa, Gisele, sheilas da vida. As moças se iludem e seguem o regime da fome. Sonham acordadas com a fama e com a passarela. Sente-se mais bonitas quando mais parecem um saco de ossos ambulante. A moda da mulher cabide é o que impera. Os esqueletos, a pele flácida, pontas de ossos, corpos em forma reta, sem curvas. Um estilo que nada tem a ver com a origem racial do nosso povo, que em sua maioria vem da etnia africana, com formas robustas, corpo bem definido. A maioria dos homens admiram os volumes na estética feminina. Então a moda esquelética apenas agrada sob as luzes dos holofotes das passarelas.
O resto é apenas motivo de chacota e razão para tratamento médico e psicológico.

É isso!

 

Cantinho da Cê Copyright © 2010 Template adaptado por Elis (Coisas de Lily)