sábado, 4 de setembro de 2010

Primavera...

Postado por Celeste Maria Cesar Galvão às 20:53


Quero apenas cinco coisas..
Primeiro é o amor sem fim
A segunda é ver o outono
A terceira é o grave inverno
Em quarto lugar o verão
A quinta coisa são teus olhos
Não quero dormir sem teus olhos.
Não quero ser... sem que me olhes.
Abro mão da primavera para que continues me olhando.

Pablo Neruda



Neruda abriu mão da Primavera para salvar  um grande  amor.

Vale a pena abrirmos mão de alguma coisa em nome do amor?

São questionamentos que temos que nos fazer às vezes e que acho que são necessários à nossa vida.

Eu mesma já abri mão de muita coisa importante em nome de um grande amor e esse amor acabou e eu acabei ficando sem nada. Não sei se me arrependo, mas hoje eu não agiria tão impulsivamente, pensaria mais um pouco.

E você amigo (a), abriria mão da PRIMAVERA?




Beijos, Cê






9 comentários:

Felipe Palma Dojcsar disse...

Não sei... Não sei por vários motivos. Aliás, uma rede de motivos que se entrelaçam na cabeça desse cara chato e (meio) metódico que sou. Vou me ater a um: quando começamos a pensar sobre algo, a gente precisa "saber" o que é esse algo; então, o que seria o "amor" que costumamos proferir?...

Eu já amei mais de uma moça (huum... só aqui eu já rompi particularmente com a questão de "só se amar uma vez na vida"...)e com nenhuma foi igual a outra, mas amo muito um bichinho de pelúcia meu (o Kiko). Amo meus familiares, já até disse que amei o Corinthians (!!!) e em últimos dias de aulas nas séries colegiais eu abracei e troquei "eu-te-amos" com amigos que... que nunca mais vi ou conversei... Tudo isso porque eu já soltei, em conversas adolescentes, que "jamais diria um eu-te-amo ao vento"...

Ao mesmo tempo, em todos "eu-te-amos" proferidos aqui e ali, houve algo em comum: o sujeito "EU", o verbo "AMAR" e um objeto. Reparem! No ato de explanar "eu amo você!", pelo menos três variáveis existem! Assim, vamos tentar pensar sobre tudo isso (as três variáveis e o "amor" à torto e à direita...).

Desde que o mundo é mundo, sempre alguém falou, escreveu e cantou sobre o "amor", então não serei eu, reles mortal, que baterei o martelo dessa história. Mas convenhamos que "amar algo ou alguém" é um sentimento muito amplo. Não dá para, em pouco tempo e maturidade de vida, afunilarmos a sensação do Amor a algo pelo qual nasceu um foguinho gostoso no peito. Calma... Pode ser uma passageira paixão... emoção... empolgação.

E a questão do "EU", sujeito de "eu amo você"? Eu preciso de tantas primaveras forem precisas para que eu conheça quais flores mais me entorpecem com seus perfumes; e eu só tive 24 primaveras ainda e... cadê "aquele" meu perfume? Um dia eu espero abrir mão de uma estação dessa... Nesse dia, não será um conselho que me fará chutar uma primavera, mas sim o próprio amor, dentro de mim, me sussurrará isso na overdose de meu perfume.

E o "você"? Como posso abraçar cegamente Neruda e chutar a Primavera, quando já me identifiquei com o "cultivar jardins ao invés de ir atrás das borboletas", de Quintana? Quem é o "você" que me fará abrir mão de tooooodas as demais formas de amor que uma primavera pode trazer?

Arrisco-me demais a dar esse passo. Arrisco desconstruir um "eu" ainda não formado. Arrisco pecar contra a farta gama de formas de Amor ao escolher uma em detrimento das demais. Arrisco perder, inclusive, o "você", pois foi por não ter deixado de desfrutar a atual primavera que o "você" apareceu; se eu fizer isso, entro em controvérsia e serei o oposto daquilo que fez "você" me amar.

Então, sente-se ao meu lado e vamos juntos desfrutar tantas e tantas primaveras passarem por nós. Em suma, se você é "você", então você não irá querer que eu abra mão de uma primavera sequer.

Luma Rosa on 4 de setembro de 2010 23:48:00 BRT disse...

Não sabia que tinha voltado a blogar! Nem acreditei quando li o seu nome! Seja bem-vinda!!

Blog da Fatima on 5 de setembro de 2010 00:41:00 BRT disse...

Oi CÊ...
Fiquei feliz com atua visita lá no blog, e mais feliz ainda por cehgar no meu blog em um momento tão especial, poder compartilhar minha alegria com novos amigos é Master!! hehehehe

Seja sempre bem vinda no meu humilde bloguinho...muito fofo teu cantinho!!

Bjos no ♥

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez on 5 de setembro de 2010 12:16:00 BRT disse...

Obrigado pela visita ao blog. E o seu é realmente muito bonito!
Tb já abri mão da primavera qdo era mais novo... hj já pensaria um pouco mais. O tempo deixa a gente um pouco menos impulsivo né. O ideal é a primavera junto a um grande amor!
boa semana pra vc

Paula Marina on 5 de setembro de 2010 13:22:00 BRT disse...

Pablo Neruda é perfeito!
xerus

Paula Marina on 5 de setembro de 2010 14:00:00 BRT disse...

HAHA, A CURIOSIDADE MATOU O GATO!
ME MANDA TEU MSN POR COMENTARIO , EU APAGO ASSIM QUE PEGAR.
XERUS

psy on 6 de setembro de 2010 07:29:00 BRT disse...

Penso que o amor sempre vale a pena, o esforço, o martírio, o heroísmo e o estoicismo....
Neruda é brilhante e vc é DEMAIS!!!!
Adorei!
Beijo

Elaine Gaspareto on 7 de setembro de 2010 20:14:00 BRT disse...

Celeste,
Amor de verdade não nos faz perder, abrir mão. Amor de verdade nos dá, nos abre as postar.
Se tiver que abrir mão da primavera então não é amor...

Beijossssss e boa noite

Raphaah Abreu on 15 de outubro de 2010 13:57:00 BRT disse...

Obrigado pela visita ao blog.

Agradeço tbm por este teu vulcão de palavras,que ejacula poesia,informação, conhecimento, e Amor,este teu espaço,
que faz cair a boca das palavras!

Bjos, e seja sempre bem-vinda na minha casa.

 

Cantinho da Cê Copyright © 2010 Template adaptado por Elis (Coisas de Lily)